Arquivo mensal: abril 2014

Dois olhares

Imagem

 

Imagem

Ontem à noite estava navegando sem destino quando encontrei esta matéria. Falava de um pai que recriou quadros famosos usando sua filha de 5 anos como modelo. O resultado é belíssimo. Tanto pelo olhar do pai imortalizando em fotografia  cenas já imortalizadas; como o da criança, que nos instiga a entrar nas fotos, mais do que apenas apreciar.

O link é  http://awebic.com/pessoas/pai-e-filha-recriam-grandes-obras/         para quem queira ver as demais.

 

Anúncios

Chora a tarde

Imagem

 

Adoro quando a chuva chora.

Tão diferente de chuva chuvosa,

a chuva chorosa chega mansa, lágrimas retas, contínuas.

Não há estardalhaço de tempestade,

de brabeza ou de desespero.

Quando a chuva chora, ela simplesmente começa.

Se seus soluços são de tristeza, ou saudade, nem sei.

Chora ali, algumas vezes por alguns instantes apenas,

outras se debulha nestas lágrimas por horas.

E quando termina é como se pegasse um lenço,

enxugasse os olhos e as bochechas vermelhas, e seguisse em frente:

Tem mais dia pra acontecer, não tem mais natureza para regar!

E se a tristeza ou a saudade apertam ela retoma seu choro calmo,

independente de tantos quereres e previsões.

Ela chove, chorosa, inteira, toda a minha emoção.

Divórcio

DSCF0030

Algumas vezes precisamos mudar para continuarmos os mesmos. Compartilho o pensamento do Jabor, por me identificar com cada palavra descrita:

“Meus amigos separados não cansam de perguntar como consegui ficar casado 30 anos com a mesma mulher. As mulheres sempre mais maldosas que os homens, não perguntam a minha esposa como ela consegue ficar casada com o mesmo homem, mas como ela consegue ficar casada comigo. Os jovens é que fazem as perguntas certas, ou seja, querem conhecer o segredo para manter um casamento por tanto tempo. Ninguém ensina isso nas escolas, pelo contrário. Não sou um especialista do ramo, como todos sabem, mas dito isso, minha resposta é mais ou menos a que segue:

Hoje em dia o divórcio é inevitável, não dá para escapar. Ninguém aguenta conviver com a mesma pessoa por uma eternidade. Eu, na realidade já estou em meu terceiro casamento – a única diferença é que casei três vezes com a mesma mulher.

Minha esposa, se não me engano está em seu quinto, porque ela pensou em pegar as malas mais vezes que eu. O segredo do casamento não é a harmonia eterna. Depois dos inevitáveis arranca-rabos, a solução é ponderar, se acalmar e partir de novo com a mesma mulher.

O segredo no fundo é renovar o casamento e não procurar um casamento novo. Isso exige alguns cuidados e preocupações que são esquecidos no dia-a-dia do casal.

De tempos em tempos, é preciso renovar a relação. De tempos em tempos é preciso voltar a namorar, voltar a cortejar, seduzir e ser seduzido. Há quanto tempo vocês não saem para dançar? Há quanto tempo você não tenta conquistá-la ou conquistá-lo como se seu par fosse um pretendente em potencial?

Há quanto tempo não fazem uma lua-de-mel, sem os filhos eternamente brigando para ter a sua irrestrita atenção?
Sem falar dos inúmeros quilos que se acrescentaram a você depois do casamento. Mulher e marido que se separam perdem 10 kg em um único mês, por que vocês não podem conseguir o mesmo?

Faça de conta que você está de caso novo. Se fosse um casamento novo, você certamente passaria a frequentar lugares novos e desconhecidos, mudaria de casa ou apartamento, trocaria seu guarda-roupa, os discos, o corte de cabelo, a maquiagem. Mas tudo isso pode ser feito sem que você se separe de seu cônjuge.

Vamos ser honestos: ninguém aguenta a mesma mulher ou o mesmo marido por trinta anos com a mesma roupa, o mesmo batom, com os mesmos amigos, com as mesmas piadas. Muitas vezes não é a sua esposa que está ficando chata e mofada, é você, são seus próprios móveis com a mesma desbotada decoração.

Se você se divorciasse, certamente trocaria tudo, que é justamente um dos prazeres da separação. Quem se separa se encanta com a nova vida, a nova casa, um novo bairro, um novo circuito de amigos.

Não é preciso um divórcio litigioso para ter tudo isso. Basta mudar de lugares e interesses e não se deixar acomodar. Isso obviamente custa caro e muitas uniões se esfacelam porque o casal se recusa a pagar esses pequenos custos necessários para renovar um casamento.

Mas se você se separar, sua nova esposa vai querer novos filhos, novos móveis, novas roupas e você ainda terá a pensão dos filhos do casamento anterior.

Não existe essa tal “estabilidade do casamento” nem ela deveria ser almejada. O mundo muda, e você também, seu marido, sua esposa, seu bairro e seus amigos.

A melhor estratégia para salvar um casamento não é manter uma “relação estável”, mas saber mudar junto. Todo cônjuge precisa evoluir, estudar, aprimorar-se, interessar-se por coisas que jamais teria pensado em fazer no inicio do casamento. Você faz isso constantemente no trabalho, porque não fazer na própria família?

É o que seus filhos fazem desde que vieram ao mundo. Portanto descubra a nova mulher ou o novo homem que vive ao seu lado, em vez de sair por aí tentando descobrir um novo interessante par. Tenho certeza que seus filhos os respeitarão pela decisão de se manterem juntos e aprenderão a importante lição de como crescer e evoluir unidos apesar das desavenças. Brigas e arranca-rabos sempre ocorrerão: por isso de vez em quando é necessário se casar de novo, mas tente fazê-lo sempre com o mesmo par.

Como vê, NÃO EXISTE MÁGICA – EXISTE COMPROMISSO, COMPROMETIMENTO E TRABALHO – é isso que salva casamentos e famílias.”

Fonte: Citações Arnaldo Jabor

Pêndulo

Num tique-taque incessante

Amizades vêm e vão

Carinhos, risos e confidências,

Fortes abraços, apertos de mão.

Em movimento constante,

O tempo passa e nele pessoas passam também.

Tal qual pêndulos vencendo a inércia,

Sobrevivendo ao diário, ao cotidiano.

Superam entraves, rotinas e ao final do dia,

Ao cerrarem as cortinas, apaga-se o que significou mediano.

Movimento hipnótico, silenciador,

Tal qual saudade apertada, vem, volta,

Ora Alegra, ora entristece,

Ora aperta e ora desvanece.

A cara do tempo

Imagem

Ao acordar olhei para o espelho.

Me percebi amassada e com vincos, cara de travesseiro.

E sem ao menos piscar,

não me reconheci naquela imagem.

 

Por um momento vi a bailarina que poderia ter sido,

a artista  que não ousei ser, a embaixadora que não me esforcei a chegar.

Em confusão mental vi a pessoa que me habita,

que não tem a idade do registro, buscando o tempo todo se encontrar.

 

Vi a mulher que canta alto o tempo que pode,

Que socorre, atua e depois desmorona.

Que brinca com pessoas desconhecidas e crianças,

que quando percebe passeia com os cachorros da rua.

 

Vi a menina que dança na calçada, na loja, no banco e no supermercado.

Vi a idealista e a construtora de mundo real.

A idosa inconformada com ingratidão e com tempo desperdiçado.

 

Nesta imagem da cara amassada, meu pensamento mergulho:

No reflexo do espelho, meu semblante,

meu corpo e minhas cicatrizes não contam minhas histórias.

 

Ah, o tempo, se injusto não sei.

Me deu todas as chances, até mesmo as que não busquei.

Me dá o presente, algumas vezes não aquilo o que sonhei.

 

Espero que o tempo me permita o futuro.

Que o espelho continue a me desafiar inteira,

Que mais que imagem, me reflita cantante, dançante e,

Ainda que velhinha, reflita somente minh’alma verdadeira.

 

 

Tocando em frente

Não precisa morar em Mato Grosso pra amar esta música. uma inspiração para o fim de semana.

Tocando em Frente / Almir Sater

Ando devagar
Porque já tive pressa
E levo esse sorriso
Porque já chorei demais

Hoje me sinto mais forte
Mais feliz, quem sabe
Só levo a certeza
De que muito pouco sei
Ou nada sei

Conhecer as manhas
E as manhãs
O sabor das massas
E das maçãs

É preciso amor
Pra poder pulsar
É preciso paz pra poder sorrir
É preciso a chuva para florir

Penso que cumprir a vida
Seja simplesmente
Compreender a marcha
E ir tocando em frente

Como um velho boiadeiro
Levando a boiada
Eu vou tocando os dias
Pela longa estrada, eu vou
Estrada eu sou

Conhecer as manhas
E as manhãs
O sabor das massas
E das maçãs

É preciso amor
Pra poder pulsar
É preciso paz pra poder sorrir
É preciso a chuva para florir

Todo mundo ama um dia
Todo mundo chora
Um dia a gente chega
E no outro vai embora

Cada um de nós compõe a sua história
Cada ser em si
Carrega o dom de ser capaz
E ser feliz

Conhecer as matas
E as manhãs
O sabor das massas
E das maçãs

É preciso amor
Pra poder pulsar
É preciso paz pra poder sorrir
É preciso a chuva para florir

Ando devagar
Porque já tive pressa
E levo esse sorriso
Porque já chorei demais

Cada um de nós compõe a sua história
Cada ser em si
Carrega o dom de ser capaz
E ser feliz