Arquivo mensal: junho 2014

Check up anual

exames1

Ir ao médico anualmente depois dos 40 é indispensável, depois dos 50 – mandatório. Deve fazer parte de nosso calendário como feriados e datas de aniversários. Eu tenho a sorte de fazer consultas em casa para os casos mais simples, mas mantenho a sanidade do cônjuge tendo  clínicos externos. Se bem que não faço um exame sem antes reafirmar a necessidade com o marido. Pobres médicos externos!

Faço o agendamento no meu calendário particular já de um ano para outro e depois quando começam a aparecer os “lembretes de agendar consulta” no celular ou no computador, vejo qual clínico ganhará a preferência.

Este ano ganhou o oftalmologista. Parecia que havia sido ontem que tinha trocado os óculos porque o grau aumentara pouco. Só  que desde o começo do ano estava péssimo para ler, trabalhar ou cumprimentar os amigos porque as imagens não estavam tão nítidas. Resultado: grau aumentado tanto para longe quanto para perto e no conjunto, uma armação nova para o dia-a-dia e outra para o “suplente” de leitura. Agora com olhos de lince novamente, desde que com os óculos.

Depois a visita ao ginecologista. Sem vergonha alguma de falar sobre o assunto. Até porque como disse visitá-lo anualmente faz parte do meu “dever de mulher moderna” e com ele uma lista enorme de exames: sangue (uns tantos dentro deste pedido), urina, papanicolau, mamografia, ultrassonografia e outros.

Exames feitos, resultados disponíveis na internet, vem a parte de ler os resultados antes de levá-los ao médico. Queria conhecer alguém que não abra os exames e os entregue para o médico sem olhar antes. Eu não consigo! Alguns exames são enganadores, quando o resultado é positivo quer dizer que você não tem nada, e o nos negativos é que você tem  e começa a apreensão. Examino as radiografias da mamografia como se entendesse tudo e pudesse encontrar ali um ET. Ultrassom é bonitinho, aquele monte de fotos. Ainda bem que a ultrassonografia já vem com todas as anotações necessárias na própria foto: ovário direito, ovário esquerdo etc, etc.

Pior é o drama que a gente faz quando não entende os resultados. Eu, neste caso, não sou de buscar no google. Espero pacientemente (nem sempre) e busco as explicações no marido (excelente “site” de pesquisa médica neste capítulo). O máximo que procuro no google em assuntos médicos é a descrição de alguma doença. O resto busco em sites científicos confiáveis.

Bom, hoje foi dia de total alegria. Últimos resultados dos exames disponíveis no site do laboratório. Imprimo todos. Nem li pelo vídeo – direto pra impressora. Me reafirmo saudável, comprovadamente saudável! Como falado anteriormente  fui ao médico pelo dever e não por sentir qualquer mal-estar ou doença.

Resta agora entregar os resultados a quem de direito para avaliá-los e deixar já agendado a consulta do ano que vem! E agendar a próxima parada: dentista.

 

Anúncios

Sem mandamentos – Osvaldo Montenegro

Hoje eu quero a rua cheia de sorrisos francos
de rostos serenos, de palavras soltas
eu quero a rua toda parecendo louca
com gente gritando e se abraçando ao sol

Hoje eu quero ver a bola da criança livre
quero ver os sonhos todos nas janelas
quero ver vocês andando por aí

Hoje eu vou pedir desculpas pelo que eu não disse
eu até desculpo o que você falou
eu quero ver meu coração no seu sorriso
e no olho da tarde a primeira luz

Hoje eu quero que os boêmios gritem bem mais alto
eu quero um carnaval no engarrafamento
e que dez mil estrelas vão riscando o céu
buscando a sua casa no amanhecer

Hoje eu vou fazer barulho pela madrugada
rasgar a noite escura como um lampião
eu vou fazer seresta na sua calçada
eu vou fazer misérias no seu coração

Hoje eu quero que os poetas dancem pela rua
pra escrever a música sem pretensão
eu quero que as buzinas toquem flauta-doce
e que triunfe a força da imaginação.

…eu vou fazer seresta na sua calçada
eu vou fazer misérias no seu coração

Hoje eu quero que os poetas dancem pela rua
pra escrever a música sem pretensão
eu quero que as buzinas toquem flauta-doce
e que triunfe a força da imaginação.

Domingo no Parque

Domingo no Parque

Tempo fresco, horário tarde, gente feliz.
Natureza se adaptando à chegada da seca.
Já não há tantas flores no bosque,
há sim muitas folhas já no chão.

Minha caminhada não é constante,
Vejo um lagarto entrando na mata,
um filhote de cotia perdido passando,
algumas folhagens de colorido vibrante.

Caminho mais um trecho e aparece o primeiro.
Sempre há uns miquinhos sorridentes.
Mas hoje estavam em bando,
E pelo clima fresco, ainda mais contentes.

Ah se eu tivesse levado minha câmera!
Nem a do celular eu tinha.
Teria feito as melhores tomadas,
pois até aos meus pés vinham.

Havia uns 20 saltitantes,
Comendo frutinhas ou simplesmente parados
em algazarra gritando,
felicitando os demais caminhantes.

Ao final sentada no banco da praça,
um joão-de-barro num galho próximo,
verificava o movimento local, saindo à porta,
no seu dever de vigília constante.

E a manhã no parque se fez acabada,
voltei pra casa em seguida,
pensando em como guardar na memória,
a imagem do dia que não consegui ter retida.

Cenas do Cotidiano: Tempos de Copa – Chile

Cenas do Cotidiano: Tempos de Copa - Chile

Você está em um restaurante com um grupo de chilenos, e há mais pelo menos uns 30 nas demais mesas. De repente entra um grupo, acompanhando um moço, de uns 40 anos, cabelos à la Valderrama, de terno, gravata, lencinho no bolso, que chega arrasando. O restaurante para e os chilenos começam a cantar o nome do moço e aplaudir, cantar Chile – chi, chi, chi, le, le, le, viva Chile; correm para tirar fotografia, maior buxixo. Passa uns 20 minutos recebemos duas garrafas de vinho na mesa. Estranhamos porque não pedimos nada e bebíamos cerveja, mas a resposta foi que o “Valderrama” havia mandado para todas as mesas onde havia chilenos. Resumindo: o chique moço é uma das maiores fortunas do Chile e estava feliz de ver seus conterrâneos em terra brasilis torcendo pelo seus país. Me senti num filme: “Pagando uma rodada para todos!!!!!”

Namorando

Namorando

Vermelho pulsante
Escancarado desejo
Namorados amantes
Incessante gracejo.

Mãos dadas,
Afagos,
Abraços,
Apaixonado beijo.

Rosas escarlates,
Iluminados girassóis,
Encontro marcado,
Vinho e queijo.

Sorrisos,
Lágrimas,
Olhares,
Festejo.

Dias simples,
Noites ardentes,
Amor eterno
Antevejo.

Eu e a copa

Imagem

Não sou a pessoa mais amante de futebol que conheço. Ao contrário, posso passar muito bem sem ele. Já passei algumas horas em frente a televisão assistindo jogos. Em alguns reclamando, em outros até torcendo.

Não consegui muito bem elaborar meus sentimentos com relação à Copa do Mundo no Brasil e em especial em à Copa em Cuiabá. Não é novidade nenhuma todas as agruras que o cuiabano tem passado nos últimos 3 anos (temos estado na mídia negativa direto), para terminar tudo em maquiagem agora, além de obrigatória  senão a “reconstrução” de tudo que já foi feito, pelo menos mais alguns aditivos para terminarem as obras em um padrão aceitável (não o padrão FIFA), de ruas a viadutos, até do próprio estádio.

Sem falar destas mazelas, voltemos ao futebol. Ontem li um post indignado se referindo ao valor dos salários dos jogadores, salários milionários etc, etc. Me peguei respondendo: Oras, não queriam que os jogadores do Ibis que representassem o Brasil nos Jogos!!

Posso não gostar de futebol, não ser a torcedora mais animada do mundo, mas entendo que é um campeonato de elite onde os jogadores chamados para disputar o campeonato estão entre os melhores do mundo, e os que não estão, pela visibilidade caso  joguem bem, vão ficar. E a discussão dos salários foge ao meu entendimento mundano e até faz inveja. Mas se os times disputam estes jogadores a peso de ouro, alguma coisa devem valer na realidade.

Duro mesmo é o salário de vereadores,  deputados e senadores, políticos do TCE e outros órgãos governamentais de todas as esferas. Ridículas são suas aposentadorias integrais após o mandato, planos de saúde pagos pelo eleitor, auxílios moradia, livros, roupas e outros inomináveis. Nada como se auto regular e auto legislar! É só dar uma busca no google fazendo comparações entre os gastos com os políticos no Brasil com os de países mais ricos, que dá vontade de jogar cada um deles da ponte!

Voltemos ao futebol Giana, foco!

Amanhã será a abertura oficial. Sinceramente torço para que os metroviários não aprontem alguma em São Paulo, politizando o momento e criando o caos, ou mais caos, na cidade. Torço para que a apresentação do Brasil seja mais rica do que sambistas quase desnudas permaneçam rebolando frente (e costas) a milhares de torcedores e telespectadores, como se isso resumisse o Brasil. Uma cultura tão rica e colorida não pode ser resumida a plumas na cabeça e nada nos glúteos.

Torço para que os presentes cantem o Hino Nacional como nunca antes, mais forte ainda do que na Copa das Confederações, arrepiando o mais simples dos mortais.

Torço para que não haja qualquer manifestação que coloque em risco a segurança dos presentes; o nome do país no exterior. Que não se precise testar a eficiência dos nossos hospitais públicos por conta de algum fato negativo (não quis dizer atentado porque fica forte). Que os médicos, enfermeiros, bombeiros, motoristas, brigadistas e outros tantos consigam também assistir pacificamente a abertura e o jogo em seguida.

Torço para que a Dilma vá ao estádio e suporte as vaias. Como presidente do país ela tem que assumir a responsabilidade, afinal não disse ainda ontem que tudo está pronto, lindo e maravilhoso?

Foco Giana! De novo.

Torço para que o verde e amarelo esteja no coração de todos nós, como Pátria, e não apenas como festa.

Ainda não sei onde vou assistir, mas tenho certeza de que se em casa, me divido entre a Copa e a Cozinha, pois sou eu que fico buscando água, refrigerante, salgadinho; esperando de qualquer maneira o locutor começar a apressar as palavras para então eu parar de fazer o que esteja fazendo e correr pra frente da televisão e ver a torcida abestalhada por conta de um gol.

 

 

Beijos e Abraços

Beijos e Abraços

Há quem não goste de abraço,
O entenda frio e protocolar.
Eu, ao contrário, adoro tanto os abraços,
assim como adoro abraçar.

O abraço conforta, enamora.
O abraço aperta e aproxima.
Me perco dentro de abraços,
longos e infindos.

Pode haver beijos, selinhos ou estalados,
Beijos de amizade ou os molhados,
Porém sempre mais bem vindo,
Indiferente o tipo de beijo, se acompanhado do abraço.

(imagem do google)

Cenas do Cotidiano

Imagem

Segunda feira fui comprar flores em uma floricultura movimentada da cidade. Como gosto de acompanhar a montagem do arranjo, segui para a sala onde o meu seria feito. Chego lá, um florista está fazendo o maior buquê de rosas vermelhas. Perguntei se seria uma ou duas dúzias de rosas, e ele respondeu que duas. Dei risada e lembrei de uma foto que passa direto aqui no fb de um mega arranjo de rosas também, onde o letreiro diz: Ou é amor demais ou a “meleca” foi proporcional ao tamanho do buquê. Comentei isso com o rapaz, que me respondeu: “Segunda-feira é o dia dos buquês “meleca demais””.

Estrela Amante

Imagem

Pode uma mulher ser  poesia personificada?

Respondo que pode sim. Tenho certeza que sim.

Pequena como um bibelô,

doce como um torrão de açúcar,

leve como as nuvens trazendo sombra e frescor.

Risonha como criança quando brinca.

Braba e bicuda quando se deixa acuar.

Traz em si o  abraço mais gostoso e as palavras mais sábias.

Tem no corpo o maior sono do mundo.

É companhia perfeita, silente quando não preciso de palavras,

bagunça certa se para festejar.

Como poesia transmite paz, sinceridade e sentimento.

É a estrela primeira ao lado da lua,

Sumindo na hora do sol raiar.

Pode ser tempestade com raios ou  lágrima quando desato a chorar.

Mas personifica por completo o significado de seu nome,

é estrela brilhante, farol, cristal de luz, um diamante.

Linda Thainá, minha estrela amante.