Amplitude

foto de Taylor Marie McCormick Photographe

 

A menina não sabia

se chorava ou se sorria,

acabara de abrir o presente,

era tudo que queria.

 

Melhor que um computador,

bicicleta ou aquele espelho lindo

que tinha gostado na vidraçaria.

 

Não era livro, apesar do quanto também os queria,

aquelas muitas histórias de outras vidas,

contando suas realidades ou somente fantasias.

 

O presente era simples

encapado especialmente para ela.

O que o tornava único era sua fotografia

na primeira folha do caderno.

 

Ali ela reportaria toda ânsia e angústia,

Que trazia em sai cada dia mais forte,

Só lhe faltava onde poder gritar e esconder

Todo este destempero.

 

Mas um caderno é tão simples, por que o alvoroço com o presente?

Ela não sabia explicar, pois já pedia um lápis,

só queria começar a despejar

o que tinha dentro de si imediatamente.

 

Ninguém nunca leu seus contos, suas crônicas e poesias.

E o caderno virou milhares de folhas presas,

Mas para si ela dizia: Eu libertei outros mundos outras gentes,

Quanto mais escrevo, menos me sinto vazia.

 

 

foto de Taylor Marie McCormick

 

 

 

 

Anúncios

Um comentário sobre “Amplitude

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s